Header Ads

Governo dos EUA destrói mouses para se livrar de ataque de vírus

A Administração para o Desenvolvimento Econômico (EDA, na sigla em inglês), uma divisão do Departamento do Comércio do governo dos Estados Unidos, destruiu equipamentos eletrônicos avaliados em US$ 170 mil (cerca de R$ 380 mil) depois que uma infestação de vírus de computador foi identificada em seis de seus computadores. O custo total do incidente para o contribuinte norte-americano chegou a US$ 2,7 milhões (cerca de R$ 6 milhões).

Em dezembro de 2011, o Departamento de Segurança Nacional dos Estados Unidos enviou uma notificação para a EDA e para a Administração Nacional de Oceanos e Atmosfera (NOAA, na sigla em inglês) sobre a possível existência de vírus de computador nos sistemas das agências. Enquanto a NOAA agiu para remover a infecção, a EDA tomou uma atitude diferente.

Primeiro, os sistemas foram desligados, o que exigiu a aquisição de hardware para uso temporário, ao custo de US$ 1 milhão. Uma empresa especializada em incidentes de segurança foi contratada para investigar o problema, ao custo de mais US$ 820 mil. Outros US$ 690 mil foram gastos com o desenvolvimento de uma estratégia de longo prazo para impedir novos problemas.

Infecções foram identificadas em seis sistemas pelos especialistas contratados pela agência, que queria uma garantia de que nenhum outro computador estava infectado. Sem obter essa garantia, a agência decidiu gastar outros US$ 4,3 mil para destruir fisicamente US$ 170 mil em equipamentos de informática. A destruição parou porque a agência ficou sem dinheiro para financiar a destruições e mais US$ 3 milhões de equipamentos.

A diretoria do EDA temia que a infecção fosse trabalho de um governo estrangeiro que estaria atacando os Estados Unidos, mas as pragas identificadas eram comuns e não sofisticadas como as que são normalmente usadas nesse tipo de ataque. Houve, porém, uma série de informações incorretas fornecidas por outros especialistas do governo: a informação inicial era de que 146 sistemas estariam contaminados, quando os dados apontavam para apenas 2.

Metade do orçamento anual de tecnologia do EDA foi alocado para o problema em 2012.

A história está em um relatório de auditoria do Departamento do Comércio realizado sobre o incidente (veja aqui), relatando os equívocos da agência no caso. A agência disse que aceita as recomendações feitas pelo fiscal do Departamento.

 Governo dos EUA destrói mouses para se livrar de ataque de vírus

Nenhum comentário