Header Ads

Batman: Arkham Origins; testamos o mais novo título da saga

Se nos títulos anteriores começamos a explorar todas as possibilidades do ambiente de Batman, em Arkham Origins viajamos para o começo da carreira do Homem-Morcego. Em uma sala fechada da E3 2013, em Los Angeles, Estados Unidos, era possível jogar uma primeira missão do jogo. Entramos nela e o resultado deste primeiro teste você confere agora.

Em Batman: Arkham Origins, o cenário permanece tão sombrio quanto nos jogos anteriores da série, como não poderia ser diferente. A névoa, o clima noir e, logicamente, os criminosos estão todos lá. O Batman que encarnamos para explorar o mundo aberto criado pelos desenvolvedores da WB Games Montréal é mais jovem, ainda no começo de sua carreira, e tudo reflete isso. Desde a falta de experiência até a voz do personagem, passando pelos novos amigos e inimigos que ele encontra.

Mas se na trama o título dá um passo atrás, na jogabilidade o avanço é nítido. A resposta do sistema de luta está bem mais fluida e novos golpes entram em cena. Com a violência do herói em destaque, até para reforçar a história do jogo e a falta de experiência de Batman, os golpes são mais rústicos e podemos ver ataques como telefones e uma manobra que lembrou muito um armlock voador.

Novos equipamentos também entram em cena no Batman: Arkham Origins. O destaque é a arma que possibilita lançar um cabo de aço teleguiado. Com ele, o jogador pode criar um tipo de corda bamba e atravessar salas por cima dos inimigos sem ser percebido. O mesmo cabo de aço pode ser lançado nos próprios bandidos e já deixá-los inconscientes com facilidade.

Durante o teste, dois tipos de inimigos principais foram apresentados. Um deles, com uma armadura bastante resistente, só pode ser vencido com o uso do chamado super stun, manobra que atordoa o oponente e possibilita quebrarmos suas defesas com pancadas precisas. Já o artista marcial só pode ser derrotado com contragolpes sucessivos, o que mostra a riqueza de movimentos de luta do personagem.

Novos detalhes sobre a trama do jogo não foram revelados, mas a investigação é parte crucial. Com o modo detetive é possível recriar eventos e coletar pistas para entender os acontecimentos de momentos chave. Além disso, missões paralelas vão aparecendo a todo momento, o que expande as possibilidade de interagir com o mundo aberto e os criminosos que tomam conta de Gotham.

Batman: Arkham Origins tem toda a dinâmica e diversão que já conhecemos dos outros jogos da série e acrescenta, mais uma vez, novas possibilidades de explorar a personalidade e história do maior detetive do mundo. Se você é fã da série de jogos da Warner Bros. Interactive Entertainment ou mesmo se é viciado na saga do Homem-Morcego, certamente vai gostar de explorar mais esse título.

Nenhum comentário