Header Ads

Aplicativo de denúncia do mosquito da dengue será usado para fiscalizar eleição no Paquistão

Um aplicativo móvel, inicialmente desenvolvido para denunciar focos de mosquitos da dengue, será utilizado neste sábado (11) para impedir fraudes nas eleições do Paquistão.

Mais de 15 mil observadores eleitorais do governo poderão enviar relatos e fotos de irregularidades com seus smartphones para um centro de controle de alta tecnologia.

As autoridades esperam que o sistema, combinado com uma lista totalmente revisada e um nível sem precedentes de análise do público, ajudará a garantir que a eleição seja a mais justa possível, apesar dos desafios impostos pelos mais de 70 mil pontos de votação.

A eleição anterior foi seriamente prejudicada por uma fraude, mas especialistas garantem que agora será muito difícil disso acontecer.

A solução tecnológica será restrita a Punjab, a província mais populosa do Paquistão, onde mais de metade dos assentos da assembleia nacional estão sendo disputados.

Durante o dia de hoje, observadores eleitorais poderão reportar problemas simplesmente pressionando um ícone na tela do smartphone, que inclui opções para a ilegal presença de armas ou "pessoas suspeitas". Detalhes podem ser anexados com fotografias tiradas com a câmera do aparelho, que são imediatamente transmitidas para o centro de controle, onde elas aparecem como pontos vermelhos piscantes em mapas para identificar possíveis focos de fraude.

Uma equipe de 30 pessoas irá analisar os problemas ocorridos em Punjab e acionará a polícia no caso de problemas graves.

Autoridades dizem que o aplicativo, que está em funcionamento há duas semanas, já ajudou a reduzir crimes na última semana de campanha eleitoral.

"As reclamações realmente diminuíram quando esperávamos que houvesse um aumento", disse Umar Saif, presidente do Conselho de Tecnologia da Informação de Punjab. "As pessoas perceberam o quanto essa eleição está sendo monitorada e que as regras estão sendo aplicadas rapidamente."

A eleição deste sábado é a mais vigiada da história do Paquistão, sob os olhos da imprensa e 43 mil voluntários da organização Rede de Eleições Livres e justas.

Analistas políticos afirmam que enquanto algumas praças de votação em locais remotos possam ser seriamente afetadas por fraudes, é impossível tentar alterar o resultado geral, como o exército do Paquistão foi acusado de fazer no passado.

Entretanto, a segurança continua sendo o maior desafio. O Talibã paquistanês, que se opõe ao sistema democrático, prometeu homens-bomba em todo o país.

 Aplicativo de denúncia do mosquito da dengue será usado para fiscalizar eleição no Paquistão

Nenhum comentário